Artistas

Afonso Alves

Data:

Afonso Manuel Moreira Pereira Alves nasceu em 19 de Agosto de 1959 na freguesia da Foz do Douro, concelho do Porto.

Pertenceu ao corpo docente do Curso de Formação de Sargentos do Exército (especialidade de música) desde 1983 até 1990, dando aulas nas disciplinas de Prática Instrumental, Análise e Técnicas de composição, Acústica, Instrumentação e História da Música.

Desde 1990 tem tido a seu cargo os arranjos, orquestrações e respectiva direcção de orquestra para vários espectáculos e festivais da canção no nosso país.

Em 1989, passa a incluir nos concertos musicais executados em estabelecimentos de ensino pela Banda de Música da Região Militar Norte, a componente didáctica, visando um maior conhecimento por parte dos alunos quer quanto às obras musicais, quer quanto aos instrumentos.

Chefiou a representação musical do Exército no projecto “Vida-Escola”, decorrido na cidade de Braga em 1994, onde desenvolveu acções pedagógicas.

Na área da electrónica e dos efeitos audiovisuais, projectou e operou os efeitos especiais para várias obras musicais, das quais se destacam “O Cerco de Wellington” de Beethoven, (Auditório do Fórum da Cidade da Maia), “Os Planetas” de Gustav Holtz, (Teatro Carlos Alberto no Porto), “Miss Saigon” de Schonberg (vários pontos do país) e “1812” de Tchaikovsky (Casa da Música, Porto).

Foi professor na Classe de Saxofone no Instituto Orff do Porto.

Foi professor e director pedagógico da firma “Sinfonia – Instituto de Música Lda.” desde 1995 até 1997, tendo neste mesmo ano concluído o Curso de Promoção a Sargento-Chefe (Exército), com a mais alta classificação no ramo musical.

Foi solista em Saxofone, Oboé e Corne-Inglês, nas Bandas de Música do Exército, Governo Militar de Lisboa e Banda de Música da Região Militar Norte, como solista, com o posto de Sargento-Chefe.

Foi director artístico da Banda Marcial da Foz do Douro e Sociedade Musical Banda Alvarense.

Foi o responsável musical pelos projectos integrados no ‘Porto 2001-Capital Europeia da Cultura’ designados como ‘Concertos Gala de S. João’ e ‘Encontro de Bandas da Cidade do Porto’, onde ensaiou e dirigiu uma banda com cento e vinte instrumentistas portugueses e espanhóis numa obra da sua autoria, em sintonia com quadros de fogo de artifício projectados pela Milleniun Pyrotecnics (Londres).

Foi maestro/director do Festival de Música Sénior realizado em Roterdão em 2001, no Grande Auditório Doolen.

Colaborou tecnicamente com vários grupos corais e instrumentais na área da Grande Lisboa, onde desenvolveu acções de formação e direcção, e Grande Porto. Tem vindo a ser convidado a realizar acções de formação em diversas bandas por todo o país, nomeadamente em Lisboa, Porto, Seia, Oliveira de Frades e Pombal.

É colaborador técnico da firma editora livreira “Musicarte”, compõe para a firma “Cardoso & Conceição” e para a editora holandesa “Molenaar Edition BV”.

É autor, na área coral, de inúmeras composições baseadas em temas regionais destinadas aos Orfeões locais e de harmonizações sobre muitos outros temas.

É compositor, na área instrumental, de inúmeras obras para grandes agrupamentos, e de temas ligeiros para big-bands e orquestras ligeiras. É responsável por trabalhos musicais com fins pedagógicos, também esses editados.

Compôs, a convite da “Besson Brass Instruments” pertencente ao grupo “Boosey & Hawkes”, a primeira peça portuguesa de concerto, virtuosa, para bombardino, interpretada por Steven Meed.

Foi convidado pelo grupo de teatro experimental francês “Image Ici” a compor música de cena para a peça teatral “La vie” de Julian Brul.

Deslocou-se em Novembro de 2006 à Holanda, como maestro convidado, a convite da editora “Molenaar Edition BV” e das bandas Nieuw Leven Vianen e Zaandijks.

Orienta a Classe de Formação Musical e Técnica Coral na Universidade Sénior da Foz do Douro.

É director artístico do Orfeão da Foz do Douro, Coral Scola Cantorum, Grupo Coral da Universidade Sénior, Banda Fórum e Banda Visconde de Salreu.

voltar